Sábado, Junho 22, 2024
spot_img
- Publicidade -spot_img

Pai de Diana Santos pede ajuda para trazer o corpo para Portugal

- Publicidade -spot_img

A família de Diana Santos está a pedir ajuda para transportar o corpo da mulher para Portugal. A portuguesa, cujo corpo foi encontrado decapitado e desmembrado, em setembro de 2022, numa casa abandonada em França, tem grande parte da família nas Caxinas, em Vila do Conde, e apela, agora, à ajuda das autoridades e dos amigos de Diana para angariar os seis a sete mil euros necessários para o transporte dos restos mortais para Portugal.

Horácio Santos, o pai de Diana, afirmou ao jornal luxemburguês “Contacto” que a família “não tem possibilidades” de pagar essa quantia. “Não temos esse dinheiro. A única solução é criar uma conta solidária para trazer o corpo da minha filha para Portugal”, afirma.

A família quer que o corpo seja trasladado para Portugal e enterrado em Vila do Conde, a cidade onde vive a mãe e o filho da portuguesa.

O pai de Diana tentou obter a ajuda da embaixada portuguesa, mas ainda não obteve uma resposta. Horácio apela às autoridades do Luxemburgo que ajudem a família a transportar o corpo e a todas as pessoas que possam contribuir para juntar a verba necessária.

Diana foi encontrada morta há mais de um ano, mas só agora o Ministério Público de Diekirch libertou o corpo para que possa finalmente ser enterrado.

Segundo o filho de Diana, Francisco Bastos, as autoridades deram à família quatro opções: o corpo é sepultado numa vala comum no Luxemburgo; é enterrado em Diekirch, onde Diana estava emigrada; é enviado pelo Luxemburgo para Portugal, com um custo entre seis e sete mil euros; ou os familiares contratam um serviço funerário português para ir buscar o corpo ao Grão-Ducado.

O corpo da portuguesa foi encontrado em Mont-Saint-Martin, em França, no dia 19 de setembro de 2022. Os membros inferiores tinham sido cortados ao nível dos joelhos, não tinha braços, nem cabeça. Um mês e meio depois, foram encontradas outras partes do corpo em Temmels, na fronteira alemã com o Grão-Ducado, mas as autoridades nunca revelaram exatamente quais.

O caso continua em investigação. Até ao momento, apenas um suspeito foi detido: Said Banhakeia, um cidadão marroquino de 48 anos, está em prisão preventiva desde 6 de outubro de 2022. É acusado de homicídio “com premeditação” e considerado o principal suspeito do crime. É tio do homem com quem Diana teria casado a troco de 25 mil euros e que a polícia nunca conseguiu encontrar.

- Publicidade -spot_img
Password protection
Enter Password To Unlock This Content
The Password is: 123
Unlock content
Want to collect
more emails?
Learn 10 of the most effective list-building power mover and grow your list fast.
Download the FREE guide